Animação mostra a atuação do Projeto Bioamazônia na conservação de espécies ameaçadas

nov 19, 2021NOTICIAS SITE, Projeto Bioamazônia

Animação está disponível no canal da OTCA no YouTube

Todos os detalhes sobre a atuação do Projeto Bioamazônia estão disponíveis em formato de vídeo-animação. Com duração de aproximadamente 10 minutos, e publicado com narração nos três idiomas oficiais da OTCA português, espanhol e inglês, o vídeo Bioamazônia mescla formato de animação com fotografias e imagens em movimento para mostrar a importância da região, as ameaças e as ações que estão sendo feitas em conjunto com os Países Membros da OTCA no apoio à implementação da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Silvestres Ameaçadas (CITES).

O principal objetivo do Projeto Bioamazônia é garantir que o comércio internacional de espécimes de animais e plantas silvestres não seja uma ameaça à sobrevivência dessas espécies. São realizados diagnósticos sobre a situação das espécies e disponibilizados equipamentos e sistemas para maior eficiência no controle do comércio internacional. Estas são formas de contribuir para a melhoria da gestão, manejo, monitoramento e controle de espécies silvestres ameaçadas nos Países Membros da OTCA – Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela.

Formalmente chamado de Projeto Regional de Manejo, Monitoramento e Controle de Espécies de Fauna e Flora Ameaçadas pelo Comércio, o Projeto Bioamazônia é dividido em três componentes, buscando reduzir assimetrias entre os Países Membros.

Nos anos de 2020 e 2021, foram investidos quase três milhões de dólares nos oito países considerando as ações dos três componentes. Também foi aplicado cerca de 1 milhão de dólares na obra de infraestrutura, compra de equipamentos e desenvolvimento da plataforma do Observatório Regional Amazônico (ORA). Os recursos do Projeto Bioamazônia são provenientes da cooperação alemã por meio do Banco de Desenvolvimento KfW.

Componentes

Por meio do Componente 1 se realiza investimentos no desenvolvimento e/ou melhora de sistemas de informação sobre biodiversidade e espécies CITES e interoperabilidade com o Observatório Regional Amazônico (ORA). Entre os exemplos estão o desenvolvimento e implementação do Sistema de Informação de Biodiversidade do Museu Nacional de História Natural (MNHN) e articulação com o Sistema Nacional de Informação sobre Biodiversidade do Ministério de Ambiente e Água (MMAyA) na Bolívia e elaboração de listas nacionais de espécies da Fauna Silvestre incluídas na Convenção CITES e espécies pressionadas pelo comércio para o Sistema Nacional de Informação Ambiental do Peru.

No âmbito do Componente 2 são realizados investimentos no desenvolvimento e/ou melhoria de sistemas de emissão eletrônica de licenças CITES e sua articulação com os sistemas de janela única de comércio exterior. Alguns exemplos de ações são o desenvolvimento e implementação do módulo de uso do recurso da flora madeireira e não madeireira, no âmbito do Sistema Nacional de Rastreabilidade da Biodiversidade da Colômbia e desenvolvimento e implementação de um Sistema de Informação de Gestão da Vida Selvagem do Suriname, entre outras.

Já no Componente 3 são realizados investimentos em estudos e no desenvolvimento de sistemas de manejo e de rastreabilidade de espécies ameaçadas. Entre os vários exemplos de ações neste componente estão os estudos, no Brasil, sobre a dinâmica populacional e demográfica da espécie de raia de água doce Potamotrygon wallacei (rio Negro) e Potamotrygon leopoldi (rio Xingu) e estudo sobre a dinâmica e a evolução do mercado ornamental internacional das raias de água doce e, no Equador, a elaboração de proposta para o fortalecimento da cadeia de valor de orquídeas na região amazônica.

Conheça mais sobre o Projeto Bioamazônia – Conservação de Espécies Ameaçadas pelo Comércio – assistindo aos vídeos no canal da OTCA no YouTube.

Versão em português

Versão em espanhol

Versão em inglês

Etiquetas relacionadas ao post:

Le podría interesar…

Pin It on Pinterest

Compartilhar

Compartilhe esta publicação!

Shares