Lançamento do Primeiro Atlas de Vulnerabilidade Hidroclimática da Região Amazônica

nov 22, 2021Gestão Integrada dos Recursos Hídricos, Informativo, Projeto Bacia Amazônica

Os 8 Países Membros da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica, OTCA, farão o lançamento virtual do Primeiro Atlas de Vulnerabilidade Hidroclimática da Região Amazônica, em 30 de novembro de 2021, às 11:00 da manhã (Horário de Brasília) a partir da plataforma da OTCA, um evento internacional que presidirá a Secretária-Geral da OTCA, Alexandra Moreira e contará com a participação de representantes e funcionários das entidades encarregadas dos recursos hídricos e ambiente dos países, do PNUMA e do GEF.

O Atlas contém 60 mapas temáticos especializados

Compreender o território amazônico sob ameaça de mudança climática é o primeiro objetivo do Atlas. Um dos temas prioritários foi analisar a vulnerabilidade das populações e dos ecossistemas ante eventos hidroclimáticos extremos (secas e inundações), entendendo que a vulnerabilidade hidroclimática é o grau de fragilidade de um sistema natural e/ou humano ante a presença de uma ameaça provocada por alterações no clima.

Dessa forma, fez-se uma ampla descrição biofísica e socioeconômica da região, informação que se plasmou em 60 mapas temáticos especializados que mostram a riqueza de seu relevo, seus 21 tipos de solo, sua rica vegetação, a variedade de seus 14 climas, as infraestruturas educativas de saúde, educação e mobilidade, que inclui um mapa do eixo viário multimodal mostrando 24.000 quilômetros de rotas fluviais e terrestres, entre outros elementos com que conta este lar multicultural de mais de 48 milhões de pessoas, incluindo a contribuição de 470 povos indígenas.

Cenários de mudança climática na Região Amazônica

Sobre a temperatura estimada para a Região Amazônica, evidencia-se um aumento de 3 a 4 ºC no final do século XXI (2080-2100), acima do observado no período 1976-2000, de acordo com os cenários de mudanças na temperatura média.

Além disso, quanto à precipitação sazonal da região, calcula-se um aumento dos extremos de chuvas tanto em intensidade como em quantidade. Aumentos identificados na Amazônia colombiana, equatoriana, peruana e boliviana, e no setor sul da Região.  E redução de precipitação no norte, centro e sul leste da Região Amazônica.

As ameaças hidroclimáticas

As ameaças definidas no Atlas por sua cobertura espacial e magnitude de impactos foram secas e inundações.

Secas. 19% dos desastres na região estão associados à seca, aumentando esse valor até 46% na Amazônia brasileira.  As secas mais intensas estão associadas ao evento El Niño. O maior impacto das secas é dado pela ocorrência de incêndios florestais afetando florestas e áreas agrícolas. As secas também impactam o fornecimento de água para a população, agricultura e pecuária.

Inundações. 50% dos desastres na região estão associados às inundações, principal causa dos desastres, ocorrendo 49% na Amazônia andina e aumentando para 51% na Amazônia brasileira, seguido pelos deslizamentos e aluviões.  As inundações de grande impacto associam-se ao evento La Niña e os maiores impactos das inundações evidenciam-se sobre o setor agropecuário e a infraestrutura da população.

Dessa forma, o Atlas se concentra em um aspecto fundamental para os países: em compreender os níveis de sensibilidade tanto do ecossistema quanto das populações aos eventos hidroclimáticos extremos e, ao mesmo tempo, analisa-se a capacidade de adaptação de ambos os sistemas à mudança climática.

O Atlas permitirá gerar novos conhecimentos para o planejamento territorial, a gestão integrada dos recursos hídricos e a gestão do risco de desastres na região ante as mudanças climáticas.

A vulnerabilidade da Região Amazônica

Reconhecer a tempo a vulnerabilidade hídrica e climática da Região Amazônica permitirá uma oportuna tomada de decisões para reduzir o impacto negativo das mudanças climáticas que estão ocorrendo na região e que afetam o planeta. A este respeito, o Atlas é uma ferramenta que facilita o acesso à informação para a população em geral, especialistas e responsáveis por traçar o caminho para um futuro sustentável e resiliente da região.

Daí o compromisso de difundir nos países o Atlas de Vulnerabilidade Hidroclimática da Região Amazônica, o qual pode ser consultado em: http://otca.org

O Atlas é o resultado de um esforço conjunto dos 8 Países Membros executado pela OTCA, desenvolvido pelo Centro Internacional para a Pesquisa do Fenômeno de El Niño (CIIFEN), o qual contou com o apoio do Programa das Nações Unidas para o meio Ambiente (PNUMA) como agência de implementação e do GEF, agência de financiamento.

Etiquetas relacionadas ao post:

Le podría interesar…

Pin It on Pinterest

Compartilhar

Compartilhe esta publicação!

Shares