Observatório Regional Amazônico é lançado

nov 10, 2021NOTICIAS SITE, Observatório Regional Amazônico, OTCA, Projeto Bioamazônia

Informações sobre biodiversidade amazônica e espécies ameaçadas estão disponíveis na internet.

Cumprindo diretriz do Tratado de Cooperação Amazônica (TCA) firmado por oito países Amazônicos, a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA) lançou nesta quarta-feira, 10 de novembro de 2021, o Observatório Regional Amazônico (ORA), um centro de referência de informações sobre a Região Amazônica nos temas Biodiversidade, Espécies Listadas na Convenção CITES, Florestas, Recursos Hídricos e Povos Indígenas.

Instalado na sede da OTCA, o Observatório promove o acesso às informações e dados gerados e disponibilizados pelos oito Países Membros da OTCA – Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela. Instituições científicas dos Países Membros disponibilizam dados que alimentam o ORA.

O Observatório propicia o fluxo e o intercâmbio de informação entre instituições, autoridades governamentais, comunidade científica, academia e a sociedade civil dos Países Amazônicos. A informação é apresentada através de relatórios, painéis dinâmicos e visores geográficos, e são disponibilizados dados e indicadores temáticos da Região Amazônica. O ORA estará em permanente evolução de acordo com as necessidades dos países e indicação da Agenda Estratégica Cooperação Amazônica (AECA). Os módulos Biodiversidade e CITES estão completos, enquanto os módulos Recursos Hídricos e Florestas estão em processo de validação de dados. Em 2022, se iniciará o desenvolvimento do módulo Povos Indígenas.

Entre os principais objetivos do ORA estão facilitar e promover o acesso às informações geradas pelos Países Membros, por meio de um espaço virtual para armazenamento, intercâmbio e socialização das informações sobre a Região Amazônica; preparar e divulgar relatórios e documentos regionais sobre conteúdos temáticos prioritários; estabelecer um mecanismo de fluxo de informações que permita um processo de divulgação, visibilidade e padronização das informações que serão disponibilizadas em nível regional; e realizar monitoramento de indicadores temáticos e geração de modelos preditivos.

Os recursos para o desenvolvimento e instalação do ORA são provenientes do Ministério de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (BMZ), da República Federal da Alemanha por meio do KfW – Banco de Desenvolvimento, através do Projeto Bioamazônia, implementado pela OTCA. Foram investidos no Observatório, entre 2019 e 2021, cerca de 1 milhão de dólares, para obra de infraestrutura, compra de equipamentos e desenvolvimento da plataforma. A Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) também apoiam o observatório com investimentos na ordem de 180 mil dólares.

O lançamento

O evento presencial, com transmissão ao vivo pelos canais da OTCA nas redes sociais, contou com a participação da Secretária-Geral da OTCA, Alexandra Moreira; do Embaixador da Alemanha no Brasil, Heiko Thoms, do Diretor do KfW no Brasil, Martin Schröder, além de autoridades do Corpo Diplomático sediado em Brasília, entre eles os embaixadores dos países amazônicos que compõem a OTCA.

Alexandra Moreira lembrou que o Observatório Regional é um desejo dos países desde a concepção do Tratado de Cooperação Amazônica. “Em 1978, os Países Membros entenderam a urgência e a necessidade de uma gestão sustentável dos recursos naturais desta região e que a forma de trabalhar era por meio do monitoramento e o controle das espécies da flora e da fauna silvestres, o intercâmbio de informações, boas práticas, o estabelecimento de sistemas de gestão conjunta e cooperação nos diversos níveis governamentais, acadêmicos, científicos e da sociedade em geral”, explicou.

Secretária Geral da OTCA, Alexandra Moreira, discursa na inauguração do Observatório Regional Amazônico, realizada hoje na sede da OTCA.

Em seu discurso, o embaixador da Alemanha, Heiko Thoms, destacou que o Observatório Regional Amazônico é um marco importante para a OTCA e tem muito potencial para contribuir para conservação das florestas e espécies amazônicas com gestão integrada e sustentável. “As relações de cooperação com a OTCA foram iniciadas em 2002 com foco no apoio à implementação da CITES e o lançamento do Observatório hoje deve ser uma importante contribuição para o desenvolvimento sustentável da Amazônia”, disse Heiko Thoms, embaixador da Alemanha no Brasil durante lançamento do ORA

Secretaria Geral da OTCA, Alexandra Moreira, e o Embaixador da Alemanha, Heiko Thoms, durante a inauguração do ORA

Martin Schröder, diretor do KfW no Brasil, mencionou que o Observatório Regional Amazônico aumenta a transparência na gestão do conhecimento sobre a Amazônia. Ele destacou a importância da OTCA para articular as questões no âmbito dos países da região. “Apreciamos o diálogo técnico com a OTCA com vistas a promover a conservação e o uso sustentável da biodiversidade”, disse.

O diretor do KfW no Brasil, Martin Schröder, durante a inauguração do ORA.

A Secretária-Geral da CITES (a Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora Silvestre), Ivonne Higuero, e o Secretário-Executivo GBIF (Infraestrutura Mundial de Informação em Biodiversidade), Joe Miller, enviaram mensagens gravadas em vídeo saudando a inauguração do Observatório. Recentemente, a OTCA passou a fazer parte do GBIF como instituição associada.

Ivonne Higuero parabenizou a OTCA e comentou que “o centro oficializará o intercâmbio de informações entre instituições, autoridades governamentais, cientistas, acadêmicos e sociedade civil dos países amazônicos, apoiando assim nosso trabalho comum. Também saudamos que a CITES seja um dos módulos temáticos do Observatório ”, disse.

O Secretário Executivo do GBIF, Joe Miller, destacou que inclui 41 participantes com direito a voto e 20 países associados, acrescentando a OTCA. “O GBIF espera trabalhar com a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica para aumentar a quantidade de dados que estão disponíveis para o Observatório Regional da Amazônia para a tomada de decisão baseada em evidências”, disse ele.

Foram apresentados exemplos temáticos. A Superintendente Adjunta de Operações e Eventos Críticos Substituta da ANA, Alessandra Daibert Couri, fez demonstrações sobre a Sala de Situação de Recursos Hídricos e a Rede Regional de Monitoramento da Qualidade da Água (RR-MCA). Já o Coordenador-Geral de Ciências da Terra substituto do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Luiz Eduardo Oliveira e Cruz de Aragão, apresentou os sistemas de monitoramento do INPE.

Saiba mais sobre o Observatório Regional Amazônico

Folder disponível neste link

Vídeo disponível neste link

Plataforma ORA www.oraotca.org

Etiquetas relacionadas ao post:

Le podría interesar…

Pin It on Pinterest

Compartilhar

Compartilhe esta publicação!

Shares